Bendita Pele

por Aline Resende

DSC_3649-

Ok, estou sumida. Tudo bem, MUITO sumida. O motivo vocês já devem imaginar, muito trabalho e dia a dia cada vez mais corrido. E que saudade eu estava de escrever aqui. O tema que me trouxe de volta é justíssimo, apresentar à vocês uma loja que tem TUDO a ver com o Casa de Relíquias: A Bendita Pele.

Só de lembrar da loja eu já ativo a memória dos aromas deliciosos e da delicadeza do atendimento da Cássia, proprietária.

A Bendita Pele é uma loja de aromas para ambientes, camisolas, pijamas e lingeries. E tudo lá passou pela curadoria minuciosa da Cássia, que como eu disse, é super delicada e tem muito bom gosto. A seguir, registros meus de alguns produtos:

DSC_3417-

DSC_3426-

DSC_3498-

DSC_3471-

DSC_3498-

DSC_3546-

DSC_3549-

DSC_3591-

Os aromas além de super cheirosos, são lindos e muito decorativos (tá comprovado pelas fotos, né?) São ótimos presentes de Natal!

E os pijamas e camisolas (tenho 1 de cada e amo) são também lindos e confortáveis. Dei um conjunto para minha mãe e ela quer outro igual porque só usa ele. Ou seja, outra ótima dica de presente também!

DSC_8326

DSC_8340-

DSC_8343

DSC_8346

DSC_8347

DSC_9805-

DSC_9814-

DSC_9830-

A Bendita Pele fica na Rua Rodrigues Caldas, 726, Loja 05, Santo Agostinho, Belo Horizonte, Minas Gerais e faz entrega em todo Brasil – whatsapp- 31 971580960. 

IG: @benditapele

Fotos da matéria: Aline Resende

Os 10 + da Morar Mais BH 2017

por Aline Resende

A Morar Mais  chegou a sua décima primeira edição em BH com 54 ambientes projetados por mais de 100 profissionais das áreas de arquitetura e design de interiores.

A Mostra está mais do que nunca dizendo a que veio: apresentar propostas criativas para compor ambientes sustentáveis e com responsabilidade ambiental.

Os profissionais levaram muito a sério a proposta e colocaram a mão na massa para produzir materiais e objetos DIY com propostas de reciclagem e reaproveitamento.

Fiquei orgulhosa de ver como os ambientes estão cada vez mais democráticos e criativos, o conceito de Morar Mais por Menos está sendo realmente incorporado e tornando a decoração mais acessível.

Quem ainda não foi, precisa correr, a edição vai até o dia 01 de Outubro e está localizada na Avenida dos Bandeirantes, 800 – Mangabeiras.

 A seguir, os meus já tradicionais registros dos ambientes que mais me chamaram atenção:

(Lembrando que a ordem numérica não representa ordem de preferência)

1- Brinquedoteca – Eduarda Coelho 

Lúdico, acessível, divertido e aconchegante – é assim que eu resumiria a Brinquedoteca , assinada pela Eduarda Coelho.

DSC_7905

DSC_7906

DSC_7907

2- Quarto dos Irmãos – Por Vanessa Resende 

Mais uma vez, o lúdico ganha meu coração. No Quarto dos Irmãos, a iluminação intimista traz paz e aconchego, a altura dos móveis torna tudo acessível às crianças e dá vontade de “encolher uns anos” sentar, brincar e até tirar um cochilo.

DSC_7911

DSC_7918

3- Quarto Malva Rosa – Hannah Gomes e Raquel Cheib 

Geometria, as cores rose (está MUITO em alta) + azul  e a iluminação poderosa foram os itens determinantes para que me encantasse pelo ambiente e minhas mãozinhas cocassem para que o clicasse : )

DSC_7922

DSC_7924

DSC_7926

DSC_7928

4- Estúdio do Design por Ana Hamacek 

Os itens geométricos e urbanos foram mais uma vez responsáveis pelo meu encantamento, dessa vez, no Estúdio do Design.

DSC_7933

DSC_7934

DSC_7936

DSC_7938

5- Restaurante – por Vanessa Costa, Lucilene Bredoff e Kemilly Rocha e Cervejaria por Gabriela Brasil, Regina Dinardi, Claudia Aragão e Letícia Meireles. 

Passei por lá, não pude me assentar e pedir uma bebida, mas tive MUITA vontade. O ambiente é convidativo, aconchegante e super lindo!

DSC_7941

DSC_7942

DSC_7943

DSC_7963

6- Cozinha do Chefe Itatiaia por Gláucia Monção 

Geometrismo, pegada industrial, estio urbano e cool. Os elementos são harmônicos, ótimas cores  e mais uma vez, a mão coçou para clicar.

DSC_7948

DSC_7949

DSC_7952

DSC_7954

DSC_7955

DSC_7959

DSC_7962

7- Quarto Jovem por Paula Bianquini e Letícia Queiroz 

Quanto aconchego e personalidade! O Quarto Jovem trouxe conceito de um design moderno e urbano mas repleto de sentimento! Como diria uma jornalista que eu adoro ” Um quentinho no coração”

DSC_7965

DSC_7966

8- Recepção do Hotel Boutique por Graça Terra, Ana Beatriz Moreno, Daniela Dumont e Simone Motta

Todos os detalhes mostram o quanto o projeto foi pensando com carinho pelos profissionais. O balanço é queridinho por todos que por ali passam, e o espaço é muito interativo, dá vontade de entrar e ficar.

DSC_7967

DSC_7969

DSC_7971

DSC_7972

DSC_7974-

DSC_7975

DSC_7976

9- Banheiro Público Feminino por Heloiso Andrade 

O papel de parede é elemento de destaque e ficou muito equilibrado com a madeira clara. Alias, equilíbrio é a palavra chave para esse ambiente que une de uma forma muito bem calculada o protagonismo das flores em cores fortes, com elementos mais secos e urbanos como os espelhos redondos, a pia e os caixotes de madeira no teto.

DSC_7980-a

DSC_7981

DSC_7983

10 – Loja Cris Ambrósio por NobreDecicino

Esse tom rose combinado ao cinza do concreto é uma mistura que me agrada demais. Os espelhos redondos com cobre, o pendente em conjunto, o equilíbrio trazido pelo verde das samambaias…e claro os produtos desenvolvidos pela Cris Ambrósio (que são de enlouquecer) são alguns dos elementos que fizeram desse ambiente um dos meus xodós. Ah, já ia me esquecendo: os móveis são todos TokeStock e eu AMO.

DSC_7996

DSC_7997

DSC_8001

DSC_8003

Parabéns aos organizadores do evento e aos profissionais pelas belas crianções!

Fotos: Aline Resende

Crônicas da Fê – Curioso Caracol

por Fê Petri

6826982ca6441de6f64e7603817d1f9e

A Fê tava sumida por aqui, mas é por um motivo muito justo! Nossa colunista está ganhando o mundo e batendo suas asas por aí. A crônica de hoje, ela escreveu diretamente de Melbourne, na Austrália:

“Curiosidades. Movimentos particulares nos quais você se propõe a observar com atenção, mesmo quando o tempo se perde no embrulho da vida. De repente, no final dessa correria cotidiana, é você que esta dentro da caixa embrulhada pra presente. Pra quem, você nem sabe!

Pra não me embrulhar, observar tem sido uma escolha certeira aqui. As diferentes culturas, os diferentes porquês, as perguntas, as respostas, e digo mais, a forma como cada um se comunica, se olha, se emociona. O senso de humor em outra língua. A falta dele. A NATURAL falta dele. Pessoas que experimentaram um abraço pela primeira vez e adoraram. Que EXPERIMENTAM. Que ADORAM. Os Chineses que impõem sua presença majoritária demonstrando claramente sua intenção de dominação mundial. Japoneses e seu estilo surpreendente. Tailandeses com uma simpatia maravilhosa. Cambojians com aquela timidez com olhar de abraço. Vietnameses sorridentes e seu empenho nos estudos. Bondosos e puros Omanis. Mulçumanas que se protegem da atenção e do olhar, mas que aqui, recebem mais atenção e mais olhares. Indianos conversadores e sorridentes. Koreanos que sempre andam juntos. As vezes separados. Sempre com sono.

O que você percebe quando está entre diferentes padrões de cultura, é que todos aprendem, todos se estranham e todos se arriscam a dizer o que pensam. Todos se atrevem a participar, entender e respeitar o outro.

Curioso…

Todos falam, fazem e almejam tudo isso em outra língua. Fato é: Outra língua te desafia a ser você mesma de outra forma. Falar em outro dialeto, usando outra entonação, mudar expressões, pronúncia, ritmo, e, ainda assim, ser autêntica. Ser você. Respirar você, respeitar seu jeito. Como entendi meu jeito de ser quando achei que tinha que tentar transformá-lo e encaixá-lo em outro dialeto… Minha ironia, meu sarcasmo, minha empatia, meu carinho. Todos eles, diariamente, pareciam vestir outra roupa, calcar outro sapato. E, esse novo design vai fazendo mais sentido quando você vê que por dentro, nada mudou. Você não precisa colocar sandálias ou botas porque aceita e entende sua essência descalça. Aceita que aquele tipo de piada que você adora fazer, não faz sentido nenhum por aqui. Quantas vezes já tentei traduzir expressões que não fazem o menor sentido aqui? Quantas vezes eu fui a única a ficar em silencio porque a “piada” não fazia o menor sentido pra mim, enquanto todos riam alto?(LOL)

Por outro lado e ao mesmo tempo, você descobre piadas e risadas incríveis que às vezes te levam de volta pro seu próprio circo. Para o sentido do seu círculo. Aquela ciranda que vira um caracol. Na qual você sempre passa perto de alguém, mas nem sempre fica muito tempo, porque o caracol precisa de movimento. Meus amigos por exemplo não estão passando por mim no caracol. Eles estão na ciranda. De frente pra mim. Distantes de mim. Mas sustentamos o mesmo círculo. Seguimos rodopiando, conectados. Você não precisa estar longe para se desconectar. Às vezes você se desconecta estando no mesmo bairro. Na mesma escola. No trabalho. Na padaria. No salão. Na mesa do bar. RELATIVO.

CURIOSIDADE. Curioso ver o quão cada um tenta caminhar, de forma diferente, no caracol da vida. De vez em sempre você esbarra com indivíduos de grandes máscaras, fantasias e alegorias. De vez em quando passa por aquele glorioso NÚ que decidiu levantar os braços e soltar-se da roda, ou aqueles que querem lhe massagear as mãos durante a nossa ciranda, quase sempre caracol. Ele é pelado Chinês, ele é pelado Brasileiro, Indiano, Turco, Japonês, Australiano. Porque o peladão já entendeu que a alma não tem nacionalidade. Desde que o mundo é mundo. E que todo mundo nasce nú.

Os pelados sempre são aqueles sujeitos, que com uma palavra ou mil, com um gesto ou dois, incentivam o caracol a se tornar uma grande roda de novo, onde a maioria se vê, onde muitos se enxergam. Onde todos fazem parte da mesma e grande ciranda. Tirar uma, duas ou mais peças de roupa parece razoável e necessário. A máscara já foi “para o saco” porque eu já não conseguia ver se no fundo tava participando de uma linda ciranda ou de um confuso caracol. Vamos dar as mãos.

É muita fantasia sobrando no mundo. É muito mundo precisando se despir.

Roda mundo. Gira a grande roda.”

ciranda

Casa Cor Minas 2017

por Aline Resende

DSC_6243

A Casa Cor Minas 2017 se inicia nesse sábado dia 12 de Agosto, e na terça-feira aconteceu a inauguração para a imprensa e nós tivemos a oportunidade de ver em primeira mão o quão espetacular está a Mostra esse ano.

É sério, a cada nova edição, minhas expectativas são superadas. Esse ano, a escolha do local já havia ganhado meu coração desde o dia em que foi anunciada. Trata-se de uma mansão localizada na Rua Sapucaí, a rua que eu mais amo em Belo Horizonte!

O prédio é histórico e integra o Conjunto Arquitetônico da Praça da Estação, a vista, como vocês verão pelas fotos, é privilegiadíssima, e o pôr-do-sol um espetáculo a parte. O local funcionou como sede da extinta Rede Ferroviária Federal S/A – RFFSA, e está diretamente associado à criação de Belo Horizonte.

DSC_6357

Para curtir o espaço do deck, não é preciso pagar ingresso, e vale muito a pena ir lá curtir o pôr-do-sol mesmo depois já ter conhecido o interior da Casa (está entre meus planos para as próximas semanas)

DSC_6261-Editar

“Quantas camadas de vida tem uma parede?” Durante o processo de pesquisa para identificação foram encontradas até 7 camadas de tintas diferentes sobre a pintura original do imóvel”

A restauração feita no prédio aconteceu para receber a Mostra, ainda está acontecendo durante o evento e pode ser vista por quem estiver passando pelos corredores.

DSC_6290

Vista da varanda onde um dos ambientes irá funcionar também como cafeteria

DSC_6292

Outro ângulo da cafeteria

Cada ambiente carrega uma história por trás do seu desenvolvimento e cada detalhe tem um porquê. Os banheiros, por exemplo, foram criados pelos profissionais levando-se em conta a mistura de gêneros, as referências brincam entre o que é considerado feminino e masculino como forma de quebrar padrões. A originalidade de elementos da casa como os azulejos do box foram mantidos para que a casa não perdesse sua caracterização de época.

DSC_6338

DSC_6332

Eu poderia escrever aqui uma eternidade de linhas contando sobre como, cada ambiente me encantou de forma singular. Para vocês, deixo o conselho de não deixarem de fazer a visita nesse ano porque está realmente além de todas as expectativas – Prédio histórico incrível, localizado na rua mais cool de beagá com uma vista de tirar o fôlego, ocupações culturais a perder de vista e ambientes lindíssimos.

Anota aí, a mostra vai de 12 de agosto a 17 de setembro e está localizada na Rua Sapucaí 283.

A seguir outras fotos que fiz do evento e dos ambientes:

 DSC_6239

DSC_6255

DSC_6260

DSC_6272

DSC_6274

DSC_6281

DSC_6287

DSC_6290

DSC_6292

DSC_6294

DSC_6295

DSC_6296

DSC_6313

DSC_6316

DSC_6318

DSC_6322

DSC_6326

DSC_6330

 DSC_6345

DSC_6347

DSC_6349

DSC_6354 DSC_6360

DSC_6361

DSC_6362

DSC_6370

DSC_6374

DSC_6383

DSC_6387

Vista da Sapucaí:

DSC_6393

DSC_6394

 Boa visita e até a próxima!

Fotos: Aline Resende

Modernos Eternos 2017

por Aline Resende

DSC_0045

A Modernos Eternos desembarcou em BH em sua segunda edição e deixou todo mundo de boca aberta. Digo isso em meu nome e em nome de todas as pessoas com as quais eu conversei e que visitaram a mostra.

Neste ano, o local escolhido foi a incrível construção localizada na Rua Sebastião Dayrell de Lima, Número 80, no Mangabeiras – o antigo Clube dos Caçadores.

A Casa por si só já é um espetáculo da arquitetura, tanto por dentro, quanto por fora. Os ambientes desenvolvidos pelos profissionais para compor o espaço seguiram de forma honrosa o conceito da Modernos Eternos que é o mix&match do vintage com o contemporâneo. Some-se a isso a vista privilegiada e lindissima do alto da construção e dá para entender o porquê de todo meu entusiasmo.

Para ilustrar um pouco de tudo isso, deixo aqui algumas das fotos que fiz do dia em que fiz a visita:

DSC_0014-

Projeto Eduardo Correa Arquitetura

 

DSC_0021

Projeto Fernando Hermanny e Germana Giannetti

DSC_0024

DSC_0026

DSC_0029-

Beatriz Siqueira Arquitetura

DSC_0030

DSC_0032

Estela Netto Arquitetura

DSC_0039

DSC_0043

DSC_0046

Eduardo Correa Arquitetura

DSC_0047

DSC_0049

Eduardo Correa Arquitetura

DSC_0054

Eduardo Correa Arquitetura

DSC_0055-f

Eduardo Correa Arquitetura

DSC_0057

Eduardo Correa Arquitetura

DSC_0060

Eduardo Correa Arquitetura

DSC_0065

DSC_0071

Ambiente Melina Mundim

DSC_0075

DSC_0081

Beatriz Siqueira Arquitetura

DSC_0089

DSC_0100

 Já  estamos aguardando ansiosamente pela próxima edição!