Mitos e verdades na nutrição

por Aline Resende

10937762_892797240740612_12752396_n

Estamos vivendo uma época de loucura fitness. Acho que a maromba nunca esteve tão na moda. Os perfis com o combo treinos + dieta  nas redes sociais há tempos estão ditando regras e eu vejo os dois lados dessa febre. O lado negativo é que temos que tomar cuidado com o exagero. Acredito no equilíbrio em todas as áreas, por isso, essa ideia de que devemos ter um corpo escultural pode nos tirar a liberdade e nos aprisionar a um ideal que está exageradamente ligado à vaidade e aparência e pior que isso, a gente acaba se tornando escravo de um padrão e o mundo é feito de diversidade. Ainda bem! Mas, acredito muito na importância de nos preocuparmos com a saúde do nosso corpo e de nos sentirmos bem com nós mesmos. Esse é o lado bom desse estouro fitness. A gente acaba tendo mais acesso à informações sobre nutrição e cuidado com o corpo.

10937519_892797214073948_77197883_n

O problema é que, nessa era digital onde as informações circulam com uma imensa facilidade, é preciso ter cuidado com que se ouve e lê. Quantos truques, receitas e dicas já estouraram por aí e influenciaram milhares de pessoas, hein? Por isso, fiz algumas perguntas para a nutricionista funcional Tânia Monteiro para que ela nos esclarecesse sobre a veracidade de tópicos populares no mundo fitness.

1- óleo de coco emagrece? 

Vários estudos apontam que o óleo de coco, principalmente o extra virgem, favorece o emagrecimento pela presença de TCM (triglicerídeos de cadeia média), que apresentam atividade antioxidante e anti-inflamatória. O óleo de coco promove maior oxidação das gorduras, processo que causa sua quebra. Quando a gordura é quebrada no tecido adiposo, ela é usada em forma de energia, ou seja, não fica acumulada no organismo na forma dos famigerados pneuzinhos. Mas os pesquisadores ainda não conseguiram descobrir o mecanismo responsável por essa alteração. Portanto, o consumo de óleo de coco não deve ser feito sem orientação de um profissional de nutrição.

 2- Pode-se usar Whey sem restrições?

O Whey Protein estimula o metabolismo, o que acelera a queima calórica e evita a perda de massa magra. O pó extraído do soro do leite é rico em proteína e por isso sua digestão é mais lenta, adiando a vontade de comer. Algumas pessoas podem apresentar reações alérgicas à caseína, Beta-lactoglobulina e alfa-lactoalbumina e precisam ser monitoradas mais detalhadamente. Também  é contraindicado em casos em que a ingestão de proteínas é restrita, como em algumas doenças renais e hepáticas e intolerância alimentar. O melhor a se fazer é ir a um profissional da saúde, como um nutricionista, para saber qual o melhor suplemento para o seu organismo para não haver qualquer problema posteriormente.

10934701_892797217407281_1281617556_n

 3- O ideal é comer de 3 em 3 horas?

De acordo com a Organização Mundial da Saúde (OMS), não há evidências científicas de que esse procedimento diminua o risco de engordar. O segredo não está no intervalo entre uma refeição e outra, mas nas calorias daquilo que se come. De nada adianta comer a cada 3 horas se a escolha dos alimentos for equivocada. Fracionar as refeições e comer porções menores pode dar certo, sim, mas tudo depende do indivíduo e das decisões que ele toma. Bioquimicamente falando, muitos autores afirmam que manter a regularidade no horário das refeições, fracionando a alimentação é possível evitar que o organismo armazene energia em forma de gorduras.

 4- Todo mundo deveria parar de consumir alimentos com glúten e lactose?

Não. Cada caso é um caso. O importante é entender os casos bioquimicamente, e não seguir modismos. Pessoas que apresentam problemas com leite e derivados ou ao glúten costumam apresentar sintomas desagradáveis todas as vezes que consome tais como: muitos gases, cólicas, e outros sintomas típicos de má digestão da lactose ou do glúten. Antes de se fazer a restrição é preciso primeiro, melhorar a saúde intestinal. O repovoamento com bactérias acido lácticas no intestino, podem fazer regressão dos sintomas permitindo que volte a digerir a lactose. O profissional de nutrição com especialidade em nutrição funcional pode auxiliar essas pessoas adequadamente.

 4- Chá verde emagrece?

Estudos científicos apontam que o chá verde ajuda a diminuir a gordura corporal. Isso porque uma catequina chamada epigalocatequina galato (EGCG) incentiva as enzimas a quebrar as gorduras, assim, o organismo passa a utilizá-las de maneira mais eficaz, o que ajuda a emagrecer. Originado de uma planta chamada Camellia sinensis, esse chá traz inúmeros benefícios para a saúde, já que é rico em substâncias antioxidantes e anti-inflamatórias contribuindo para diminuir os riscos do surgimento de doenças como hipertensão e diabetes.

10934330_892797244073945_184412737_n

 5- Comer carboidrato à noite aumenta peso?

Não é um simples mito. Tanto quanto dificultar o controle do peso, o hábito pode levar, com o tempo, a problemas de saúde. Na verdade, abdicar de carboidratos à noite para perder peso pode de fato dar resultado. Os carboidratos aumentam os níveis de açúcar no sangue promovendo a liberação de insulina produzida pelo próprio corpo. Dessa forma, o açúcar chega às células através do sangue. Nesse sentido, a insulina promove a formação de gordura, principalmente gordura abdominal, e inibe sua eliminação.

Somos primatas e é da nossa natureza gastar o que consumimos durante o dia e à noite nos recolher. O ideal é comer alimentos com carboidratos no máximo até duas ou três horas antes de ir para a cama. Ou seja, se você dormir às 22h, faça a refeição pelo menos até as 20h.   O lema é: carboidratos de manhã, alimentação mista no almoço e rica em proteínas à noite.

 6-  Comer doce com estômago vazio é pior? Ou é melhor comer após a refeição, como sobremesa?

Sim. Quando o doce entra sozinho no organismo, um monte de glicose vai para o sangue de uma só vez, disparando o gatilho da insulina, que faz o nível de açúcar do sangue baixar rapidamente. O resultado disso é mais e mais vontade de comer doce e aí já viu… Após as refeições, a absorção do açúcar presente no doce será mais lenta, porque ele estará misturado a outros alimentos que você ingeriu. As gorduras, fibras e proteínas agirão como uma barreira e vai demorar mais para o açúcar entrar na corrente sanguínea. Além disso, se a pessoa tem tendência à hipoglicemia, poderá manifestar sintomas como tonteira, náusea, vomito e enxaqueca.

10943365_892797200740616_1706704878_n

 7- O açúcar mascavo é um boa alternativa para adoçar alimentos ao invés do açúcar tradicional?

O açúcar mascavo é obtido da concentração do caldo de cana ao natural e em sua produção não são utilizados aditivos químicos para clareamento e branqueamento a exemplo do açúcar refinado comum. O mascavo mantém em suas propriedades a presença de proteínas, gordura, cálcio, fósforo, ferro, vitamina B1, B2, niacina, vitamina C, sódio, potássio, magnésio, cobre e zinco, enquanto o açúcar refinado contém 0 (zero) desses nutrientes, e ainda rouba o estoque de minerais do organismo para ser digerido e absorvido.

Do ponto de vista calórico tanto o açúcar mascavo, demerara (orgânico ou não) ou branco são a mesma coisa. Os dois primeiros são menos refinados que o terceiro, mas continuam sendo a versão, ultra concentrada, da glicose/frutose encontrada, naturalmente, na cana de açúcar e o efeito no organismo é absolutamente o mesmo.

 8- Dê uma dica de ouro para os leitores do Casa de Relíquias que desejam perder peso com consciência.

  • Pense antes de comer: Por quê? Para quê?
  • Lembre-se o quanto é saudável ingerir frutas, vegetais, cereais integrais,
  • Coma lentamente, mastigando bem os alimentos.
  • Melhore sua hidratação. Beba um copo de água sempre que urinar.
  • Não omita qualquer refeição.
  • Não faça dos finais de semana uma “farra alimentar”. Todo o seu esforço e empenho realizado durante a semana será jogado fora. O ideal é maneirar na quantidade dos alimentos calóricos que serão consumidos (refrigerantes, pizza, lanches, churrasco, doces, frituras, etc.).
  • Saia do SEDENTARISMO. Pratique atividade física – faz bem pra o corpo, para a alma e para a mente.

 A Tânia Monteiro é nutricionista em Belo Horizonte e especialista em nutrição funcional. Se você deseja tirar mais dúvidas, agendar uma consulta ou marcar uma avaliação mande um email para taniamonteironutri@gmail.com  ou através do número:

(31) 3243 7149  ou (31)9671 9919

301742_371738842868418_500614538_n