Vida com (c)alma

por Aline Resende

Hoje tem mais uma super colunista entrando para o time do CDR! Quem vai começar a dividir com a gente pensamentos, imagens e palavras é a Carol Rocha.

A Carol é social media, observadora nata, tem um olhar fotográfico apurado, é magicamente habilidosa com as mãos ( faz tricot, artesanato, origamis e é viciada em DIY), é apaixonada por moda e super criativa. Ufa. Cabô? Com certeza não. Ainda têm muitas habilidades e qualidades, mas vou deixar vocês descobrirem com o tempo.

Por aqui ela vai compartilhar com a gente sua busca por uma vida mais leve e desacelerada, a chamada “slow living” .Vamos?

mapa

De tempos em tempos a vida pede um respiro. Pede pra gente parar, pensar e refletir sobre como agimos com relação à nós mesmos e consequentemente com o nosso entorno. 2016 tem sido um ano bem intenso, daqueles que faz a gente perder o fôlego de tanta informação.É um vai e vem de energia, que se a gente não para, a gente pira, literalmente. E você nota que chegou neste ponto quando já está transbordando de ansiedade e perdida dentro da sua própria vida. A cabeça pesa, o corpo dói e o desânimo toma conta de quase tudo. É nessa hora que eu comecei a colocar na balança o que está valendo ou não a pena. Estou passando por todos as áreas da minha vida, selecionando o que vai e o que fica. Não é fácil, é dolorido. E estou aprendendo da forma mais dura quando e onde depositar a minha preciosa energia. Afinal de contas é humanamente impossível ser e realizar tudo ao mesmo tempo.

O meu maior desafio está sendo criar a minha listinha de prioridades. Não porque é uma lista, aliás eu adoro elas, mas sim porque a disciplina nunca foi o meu forte. Entro numa confusão mental tão grande que perco o controle sobre mim. E isso, em momento nenhum é legal. Definir prioridades não é questão de preferir um ao outro, mas sim de trabalhar com a realidade em que eu vivo e não com idealizações. Atenção! Não é que eu vou parar de sonhar, só quero deixar de viver aquilo que ainda não é possível por N fatores. Entende? Não espero que este seja um processo natural, que vai acontecer do dia pra noite. Mas foi dando o “start” nele que a minha mudança interna começou.

E voltando pra minha listinha, decidi que a minha prioridade sou eu. Daí que surgiu a necessidade de buscar tudo aquilo que me faz bem, o que inclui experimentar novos sentimentos e sensações. Escrever faz parte deste grupo. E é aqui que esta coluna se encaixa: um diário semanal sobre estes resgates e descobertas. Durante este mês, me propus a fazer um detox geral, não só com relação aos meus hábitos alimentares (porque isso também se perdeu), como também de pessoas, sentimentos e energia. Quero um momento de renovação total para que 2017 venha com mais calma e alma. Não vou parar por aqui, como dito, este é só o começo. Quem vem comigo?

Carol Rocha

carol

Foto: Aline Prado