5 trechos marcantes de livros

por Aline Resende

Livros completamente diferentes um do outro, mas que possuem algo muito importante em comum – trechos que me marcaram:

1- “Olhou para o trapiche. Não era como um quadro sem moldura. Era como a moldura de inúmeros quadros. Como quadros de uma fita de cinema. Vidas de luta e de coragem. De miséria também.” ― Jorge Amado, Capitães da Areia

2- “De arriscar- ela disse – De se soltar e ceder, e é isso que nos transforma no que somos. Riscos. Isso é viver, Remy. Ficar com tanto medo a ponto de nem tentar é um desperdício. Posso dizer que cometi muitos erros, mas não me arrependo de nada. Porque pelo menos não passei a vida toda à margem, imaginando seria viver.” – Sarah Dessen, Uma canção de ninar.

3- “Cresci no meio de livros, fazendo amigos invisíveis em páginas que se desfaziam em pó cujo cheiro ainda conservo nas mãos.” – Carlos Záfon, A sombra do vento.

4- “Posso viver sozinha, se o respeito próprio e a circunstâncias exigirem que o faça. Não preciso vender minha alma em troca de felicidade. Tenho um tesouro íntimo que nasceu comigo, e que pode me manter viva se todos os prazeres externos me forem negados, ou oferecidos apenas a um certo preço, que não posso permitir-me pagar.” – Charlotte Brontë, Jane Eyre

5- Enquanto ele lia, me apaixonei do mesmo jeito que alguém cai no sono: gradativamente e de repente, de uma hora para outra. John Green, A culpa é das estrelas.

Fotos do Iphone - 13.03.13 924