Coluna da Lí – Sonzinho Bom

por Aline Resende

musica_recuperacao

Difícil resumir a nossa nova colunista em apenas algumas palavras. A Lí  consegue reunir tantas funções e habilidades que se a gente listar, com certeza estaremos correndo o risco de esquecer de alguma. Mesmo assim eu vou tentar – ela é fera no desenho e no design, é uma excelente fotógrafa, cozinha como ninguém (tudo que ela faz é DELICIOSO), ela canta, toca, faz vídeos e é expert em música. A musica, alias, tem sido muito presente na sua vida, ela anda fazendo fotografia, vídeos e desenvolvendo mídias sociais nessa área. Dito isso, caros colegas, apresento a vocês a nova coluna da Lí aqui no CDR – “Sonzinho Bom”, nela, a Lí vai nos dar muitas dicas e curiosidade musicais.

Obs: Vamos fazer uma campanha pra Lí assumir outras colunas também? Quem sabe sobre culinária, hein? #ficaadica

“Music is a World Within itself, with a Language we all understand”
(“A música é um Mundo por si só, com uma linguagem que todos entendem”)

Nada como um trecho de Stevie Wonder (Sir Duke, 1976) para estrear esta coluna. Começo dizendo que não sou a favor da delimitação de fronteiras para a música. Considero natural ter preferências de estilo, mas sou contra generalizações e preconceito pelo desconhecido. Nunca gostei da palavra eclética, para definir gosto musical. Soa como se eximir de emitir opinião.  Não me defino dessa maneira, apesar de diversos estilos, pois acredito que vamos gostar mais de uns e descartar outros. Prometo que o conteúdo aqui vai ser variado e de qualidade!

 

música

Foto: Lívia Rios

Bem, vamos começar pelo “Indie/folk/rock”, estilo que eu curto muito, e compartilhar alguns artistas que merecem atenção! Vou tentar explicar rapidamente: O termo indie, em inglês, é a abreviação de “independent” e se aplica, na indústria de artes e performance, para os músicos, produtores e artistas que ainda não têm contratos de imprensa e distribuição. Agora, algumas explicações sobre o termo folk: A música folclórica ou folk music, segundo a etimologia do termo adotada no século XIX, era a música feita pela sabedoria popular (“folk lore”). A denominaçāo indicava, especialmente, a música feita pela sociedade pré-industrial, fora dos circuitos da alta cultura urbana.

O “Indie Folk / Folk Rock” surgiu na década de 1990 por meio de artistas do Indie rock, trazendo influências da cena de folk music desde as décadas de 1950, 1960 e início dos anos 1970. Os Lumineers, por exemplo, são um trio americano de Folk Rock de Denver, nos EUA, formado em 2002. O grupo é formado por Wesley Schultz nos vocais e violão, Neyla Pekarek no piano, cello, mandolin e vocais, e Jeremiah Fraites na bateria e vocais. Eles fazem um som bem peculiar! Ouve só um exemplo!

Outra banda que me chama muito a atenção é “Of Monsters and Men”. A vocalista Nanna Bryndís tinha um projeto solo de vocal, que recrutou para a formação original Ragnar “Raggi” Þórhallsson (vocal e violão), Brynjar Leifsson (guitarra), Arnar Rósenkranz Hilmarsson (bateria – anunciou sua saída da banda em 2012) e Kristján Páll Kristjánsson (baixo). Quando a banda veio da Islândia para tocar aqui no Brasil, no Lollapalooza, o vocalista Raggi contou que a música lá no país ainda estava florescendo, começando com nomes pequenos. “Há muitos artistas que merecem mais atenção para além das nossa fronteiras”, disse o cantor. Escuta essa:

Para finalizar,  Edward Sharpe & The Magnetic Zeros. Diferente do que o nome sugere, a banda é composta por 10 membros e liderada pelo vocalista e compositor Alex Ebert, e não alguém chamado “Edward Sharpe”. Com a missão de salvar a humanidade do esquecimento da cultura folk-hippie, o que se observa na geração musical atual, o conjunto veio para mostrar que mesmo com as constantes transformações do mundo, a cultura hippie não ficou presa ao passado, atrelada apenas às canções de Janis, Jimmy e seus contemporâneos.

“The Head and the Heart”, “Mumford & Sons”, “Vance Joy”, “The Decemberists”,  estão também entre as inúmeras bandas que gostaria de citar, mas vou sugerir a quem se interessou que pesquise mais sobre o gênero e descubra quanta coisa legal tem por aí! Espero que aproveitem o som, e até a próxima! :)

música-violão

Foto: Lívia Rios