Sonzinho Bom – Solos de Guitarra vão me conquistar

por Aline Resende

guitarra

Peço licença à Paula Toller para parafrasear esse trecho de sua canção, “Como eu quero”, para dar introdução ao tema da vez! Faço essa adaptação porque um solo bem feito pode facilmente ser a parte mais memorável e esperada de uma música.

Infelizmente já não se fazem mais solos como antigamente… e eles estão se tornando cada vez menos populares. Hoje em dia as pessoas têm prestado menos atenção em música, e, com isso, os compositores têm sido obrigados a deixar estes solos de lado, para entregar músicas de menos de 3 minutos para o rádio. Uma lástima! Se serve de consolo, pelo menos temos aclamadas canções, ao longo da história da música, com solos maravilhosos para apreciarmos.

Como a lista é vasta, foi muito difícil selecionar quais músicas com solos brilhantes eu mostraria aqui! Tentei então trazer, dentro de uma variedade de estilos, alguns dos meus solos de guitarra preferidos, por motivos que vou contar a cada descrição. Vamos lá?

Para começar, uma música que tem um significado muito especial para mim. “Sultans of Swing”, do Dire Straits, nunca ficou de fora da trilha sonora de qualquer viagem de carro que eu tenha feito com meu pai, desde as minhas primeiras memórias. O Primeiro single da banda Inglesa, sem dúvidas é lembrado por conter um dos melhores solos de guitarra da história do Rock.  Acreditam que Mark Knopfler, executor do solo e vocalista da banda, solava sem palheta e ainda assim com uma velocidade inacreditável? Não por menos, Mark é considerado um dos melhores guitarristas de todos os tempos. Pai, essa é pro Sr. !

Obviamente,  eu não poderia deixar de citar o Rei, B.B. King. (Na madrugada, vitrola rolando um blues,  trocando de bikini sem parar)

Quando perguntado porque não cantava e tocava ao mesmo tempo, B.B. King respondia que não podia, quando na verdade a resposta mais profunda era que Lucille, sua guitarra, era uma voz, e ele outra. “Uma voz está vindo através de minha garganta, enquanto a outra está vindo através de meus dedos. Quando alguém está cantando, o outro quer ouvir”, disse o rei.

A versão dele de “The Thrill is Gone”, originalmente do pianista Roy Hawkins (1951), me causa a mesma sensação! Quero ouvir essas vozes, uma de cada vez!

King contou que, por vezes, tentou gravar algumas versões, sem sucesso. Uma noite, após uma versão com a produção de Bill Szymczyk, responsável por configurar o agradável e suave som, veio a ideia da inserção das cordas, responsáveis por tornar a música o hit mais aclamado da carreira do guitarrista.

Não conheço uma tradução adequada para a palavra “thrill”, acho que “me arrepia até a nuca” poderia ser uma definição próxima! – “The Thrill is gone” thrills me”!

Vou finalizar com um clássico: While my guitar gently weeps, diretamente do Álbum Branco, dos Beatles, de 1968 (beatlemaníaca detected, aceitem!)

Quem diria que um dos solos mais lindos do mundo, por pouco, não existiu! George Harrison (Já teve coluna sobre ele, aqui), compositor do tema, contou em uma entrevista:  “Quando começamos a gravá-la, era só eu tocando violão e cantando, e ninguém demonstrou interesse. “Bem, talvez  Ringo, mas John e Paul, não. Quando voltei para casa naquela noite, fiquei muito desapontado porque pensei: “Bem, essa é realmente uma boa canção; Não é como se fosse uma porcaria!”  

No dia seguinte, o Beatle voltou pra Londres com Eric Clapton e o convidou para participar da trilha.  Após relutar um pouco, Clapton cedeu à insistência de George, gravou, e o resto é história!  

Como não existe vídeo da faixa original, convido vocês à fecharem os olhos e ouvir a riqueza de detalhes desse solo.

https://play.spotify.com/track/4J4gApJKSC0himDViFotdy

E aqui, uma versão ao vivo tocada pela dupla em 1987, acompanhados por um time incrível!

Como disse no começo da coluna, a lista é vasta! Sofri para não dar mais detalhes das também clássicas “Stairway to Heaven”, “Sweet Child O’ Mine”, “Layla” e “Comfortably Numb”, entre outras.  Quem sabe,  futuramente, venha a “Solos de guitarra vão me conquistar – Parte II”.

guitarra-beatles

Na foto, eu, toda toda, fazendo a guitarrista com essa Les Paul Maravilhosa!

Beijos, e até a próxima!

Lívia Rios