Coluna do Marco – Intercâmbio aos 60 anos de idade

por Aline Resende

Hoje a gente estreia uma coluna SUPER ESPECIAL aqui no CDR – A coluna do Marco. O Marco é meu querido pai, de quem eu herdei, entre várias coisas, o amor por viagens. Ele já viajou bastante pelo mundo e tem muita experiência no assunto, por isso, o convidei para ser colunista aqui na Revista e escrever matérias sobre viagens (gente, ele tem MUITO material e as dicas dele são DEMAIS).  E a gente vai estrear da melhor forma possível, ele conta a seguir a experiência que ele teve de morar no exterior para fazer um curso de espanhol no auge dos seus 60 anos de idade:

Escola-madrid

Marco na porta da escola na qual ele estudou espanhol, em Madrid

“Em janeiro deste ano, quando completei 60 anos de idade, pude vivenciar uma experiência única e especial na minha vida, fazer um curso de idiomas no exterior.Eu tinha este desejo, ou melhor, este sonho, já havia algum tempo, e em meados de 2014 iniciei o planejamento da viagem.Primeiramente defini o destino: Madri, na Espanha, cidade que já conhecia e que me atraía por vários motivos: cosmopolita, vibrante, ótima culinária, fácil locomoção, boa relação custo/benefício, ótima localização geográfica, berço da língua espanhola, entre outros atrativos.

plaza-del-sol

“Marco zero” de Madri na Plaza del sol

Pesquisei algumas Escolas e optei pela Sprachcaffe Languages, que entre outras vantagens situava-se na região central de Madri, próximo às principais atrações da cidade. Esse local fica próximo ao Palácio Real, Plaza Del Sol e Plaza Mayor, e era onde eu gostaria de me hospedar. Morar num outro país, mesmo que somente por 30 dias, vivendo como um local, era outra forte motivação que eu tinha. Haveria uma rotina diária: estudar, fazer compras, cozinhar, arrumar a casa, etc, e “desbravar” a cidade, não somente os pontos turísticos, e de preferência caminhando. Fazia parte do plano também viajar nos fins de semana, assim incluí no roteiro Paris, Lisboa e Barcelona, além de “bate e volta” em Toledo e Segóvia.

plaza-isabel

Com os dois filhos, na Plaza Izabel II

Éramos um grupo de cinco pessoas, minha esposa, dois dos meus filhos e meu cunhado, o que fez que toda a viagem fosse alegre e compartilhada. O apartamento que escolhemos para alugar, pelo airBnb, ficava muito próximo à Escola e atendeu a todas nossas expectativas, fizemos inclusive uma ceia de Reveillon e convidamos outros parentes que estavam passando férias em Madri, foi ótimo!! O curso que fiz foi de 03 semanas, pouco na verdade, mas foi o que deu para fazer no tempo que tive disponível para a viagem. Mas só tenho elogios: minha professora tinha ótima didática, as aulas foram bastante interativas e com muita conversação, a turma com pessoas de várias nacionalidades, o que possibilitou uma troca de experiências muito enriquecedora. E o melhor: a Escola proporcionava aos alunos atividades extra classe: visita a museus, bares/cafés, idas ao cinema e um tour (caminhando) por algumas das atrações do centro histórico de Madri ( obtive informações históricas, culturais e gastronômicas de lugares que eu já havia visitado mas desconhecia…..).

curso-de-espanhol

Na sala de aula, com os colegas de curso

Papai 4

Com a turma completa da viagem, esposa, filhos e o cunhado – Restaurante Sobrino de Botin, o mais antigo do mundo fundado em 1725

 

palacio-de-cibeles

Palacio de Cibeles, Madri

 

aqueduto-romano

Aqueduto Romano (século I) em Segóvia

 

Ponte-de-san-martin

Ponte de San Martin ( época dos romanos) em Toledo

Muito mais eu poderia falar sobre esta maravilhosa experiência, mas termino dizendo para aqueles que, na minha faixa etária têm a intenção de fazer um curso de idiomas no exterior: pesquisem, planejem, e façam as melhores escolhas pois vale muito a pena!”