Coluna do Marco – Madrid ou Barcelona ?

por Aline Resende

Qual a preferência? A resposta é óbvia: as duas!!

Mas vamos lá: Existe uma “competição” entre as duas cidades espanholas, que vai além do aspecto politico e futebolístico – qual tem mais atrativos, é mais pulsante, etc.

Já conhecia ambas, e  em  2013 pude visitá-las novamente em  uma viagem que começou por Barcelona e terminou por Madri. Nesta última conheci algumas pessoas que me levaram a  um tour noturno para conhecer a verdadeira noite madrilena. Andamos pelo centro histórico quando pude conhecer alguns lugares autênticos e observar  a animação das pessoas nas ruas e bares.

Talvez ainda reflexo da chamada “movida madrileña” –  movimento iniciado em meados dos anos 70, durante os primeiros anos de transição da Espanha pós franquista –  a animada noite de Madri me contagiou! Eu que já era apaixonado por Barcelona , agora o era também pela sua principal “concorrente”!

Madrid-City-at-Night

Madrid noturna – imagem: reprodução

Impressionei-me com a quantidade de pessoas, de todas as idades,  nas ruas, bares e restaurantes, e em todos os dias da semana, mesmo sendo inverno!

Percebi que “dar um passeio” é uma tradição e uma espécie de ritual para os madrilenhos, especialmente para os mais velhos (é comum ver senhoras idosas  sozinhas tomando um drinque nos bares).

Madri encanta por ser alegre, segura, ter um ótimo metrô, ser ao mesmo tempo histórica e cosmopolita, ter  um ótimo custo-benefício e a gastronomia….

Bem,  a gastronomia é um espetáculo!!

Começando pelas “tapas”,  é grande a variedade de deliciosas comidas típicas que pode-se apreciar na capital espanhola: paellas,  cochinillo, cozido madrilenho,  fabada asturiana, todos, é claro, acompanhados pelos bons (e baratos) vinhos espanhóis.

Vamos então a alguns “achados” da culinária espanhola em Madri:

O famoso, e muito aconchegante Mercado  de San Miguel, próximo à Plaza Mayor,  é uma ótima opção para comer  as tapas espanholas acompanhadas de uma taça de um bom vinho ou espumante. Local badalado e muito cheio, tem a vantagem de possuir mesas grandes que podem ser compartilhadas com outros visitantes. Imperdível!

Madrid-City

Com estrutura mais simples e menos conhecido,  o Mercado de San Ildefonso , que situa-se no Bairro de Malasaña ,  tem um conceito “street food market” com 18 pontos com petiscos deliciosos prontos para comer. Para completar,  o local costuma contar com  um DJ alguns dias da semana, passando a ter  um  “happy hour” agradável e animado!

Madrid-City-at-Night

Um bar pequeno e meio escondido, estilo “boteco”,  serve uma tapa de bacalhau que é uma iguaria deliciosa (trata-se de um bolinho levemente empanado). Simplesmente sensacional! Fica na Calle de Latoneros, 3. Quem experimenta quer voltar outras vezes! Chama-se Casa Revuelta.

culinária-madrid

bolinhos-madrid

 

Existem vários restaurantes que servem o famoso cochinillo  assado. Prato típico proveniente da belíssima cidade de Segóvia  (que aliás fica somente a 27 minutos por  trem de Madri), o pequeno leitão é preparado de uma maneira que a carne fica suculenta, desmanchando-se  na boca. Sugiro experimentá-lo no ótimo  Restaurante El Sobrino de Botin, que é o mais antigo em atividade no  mundo  , aberto em 1725!!

sobrino-de-fotin

restaurante-madrid

Para saborear os famosos presuntos serranos (“jamones”) espanhóis, uma ótima opção é o Restaurante Museo del Jamon, que tem vários pratos além deste, com muita fartura e qualidade. Sugiro ir ao 2º andar da unidade da Calle Mayor, próximo  à Plaza del  Sol.

Este local foi frequentado pela aristocracia e realeza espanholas  e tem uma belíssima decoração.

Apesar de estar distante do mar, uma boa opção é comer os pescados madrilenhos, especialmente a lula (crocante) que é especialidade de vários bares próximos à Plaza Mayor.

Para mim foi uma surpresa muito agradável!

Por fim, duas dicas para aqueles que gostam de doces: a fabulosa confeitaria La Mallorquina, um deleite para se apreciar e saborear, e a tradicional chocolateria San Gines, que serve um delicioso churros para ser “mergulhado” no chocolate quente.

E Barcelona? Bem, esta fica para a próxima!!

Texto> Marco Aurélio